Mude Seu Idioma / Change Your Language / Cambia Su Lengua

sexta-feira, 23 de abril de 2010

EVENTOS 2010 - I

CONFIRA OS EVENTOS QUE VÃO AGITAR O MUNDO DAS ARTES ESSE ANO!

Você, que é profissional de dança e deseja divulgar seu evento, envie flyer com informações detalhadas para:

haiyatraziya@gmail.com.br

Ou se preferir, envie como mensagem para nosso amado "brog", rsrsrs. ENJOY IT!

















































































































quarta-feira, 21 de abril de 2010

QUAL A MELHOR MANEIRA DE SE ESTUDAR DANÇA DO VENTRE (Parte V)


  • É investir em workshops, participação em festivais, etc?


Workshops... Festivais... eventos... Se isso desse aval de boa bailarina, eu seria a "Soraia Zeid dos desvalidos", kakakakaka!!! Alguns eventos tem realmente um caráter didático e difusor da arte e da cultura, mas outros são verdadeiras máquinas caça-níqueis. Sem querer ser preconceituosa (já sendo), se o evento não é de vulto É CAÇA-NÍQUEIS!!! Não gastem seu suado dindinzinho com eles... Você irá se arrepender um dia.

Não estou dizendo que eventos pequenos sejam ruins. Mas nosso foco aqui é estudo, certo? Não diversão. Sustentar essa arte já não é nada fácil, imagina você investir num evento meia boca??? Dá vontade de morrer de catapora, né?


Leitoras e leitores purpurinados (ou não) do meu Brasil varonil: INVISTAM EM EVENTOS QUANDO ESTES LHE TROUXEREM ALGO QUE ACRESCENTEM SUA DIDÁTICA! A não ser que você queira ir só pra se divertir, aí é outra estória. Mas vamos voltar ao foco, senão eu começo a entrar em devaneios. Que tal dividirmos essa questão como na publicação anterior? Básico, Intermediário, Avançado e Profissional?


  1. BÁSICO - Nesse momento, não invistam em workshops cegamente, PELAMORDDEUSO! Usem o bom senso e reflitam. Se você está no básico, aprendendo os movimentos mais fundamentais e nem acessórios a além do véu você está usando, do que vai te servir um workshop de Espada e Véu, por exemplo? Invista em works de maquiagem artística, oficinas de quadril, expressão, véu (comum, não o fan, poi ou wings). É muito bom começar a assistir festivais e concursos, pra que você comece a ter uma noção de presença de palco, deslocamentos em grupo, dupla e solo, situações adversas, enfim, olhar com olhos acadêmicos e não de espectador. Lembre-se que você está ali pra ESTUDAR. Não esqueça do dindim que falamos anteriormente... Mas pode se divertir um pouquinho que eu deixo, rsrsrsrs.
  2. INTERMEDIÁRIO - Nessa fase, o senso crítico da gente já fica mais aguçado, onde a gente já consegue escolher os eventos que serão proveitosos pra nossos estudos. Momento de se começar a arriscar uma mostra não competitiva, uma oficina de movimentos mais complexos, de acessórios condizentes a fase de aprendizado que estamos. Agora sim, você pode fazer um workshop de espada e véu, dança de chão, solo de derbak. Nos festivais, se puder leve um caderninho, uma câmera e registre tudo pra ver com calma depois. Faça uma espécie de "gostei / não gostei" e treine o seu feeling de apresentações e organização artística. Se possível vá com alguém de nível avançado e troque impressões na hora e anote tudo que for relevante, tanto nos workshops quanto nas mostras (competitivas ou não) e nos shows.
  3. AVANÇADO - Dizer o que? Nesse momento da vida da estudante, ela já tá por dentro de todo o "jet-set" de eventos, mostras, workshops e tudo mais. Hora de dar uma arriscadinha numa mostra competitiva (que continuo sendo RADICALMENTE CONTRA, mas se for pra participar, faça isso nessa fase, onde o desestímulo de um possível "resultado não muito justo" não vai te afetar muito psicologicamente). Workshop de ritmos, folclore, língua árabe são hiper-ultra-mega bem vindos. Oficinas de produção artística para bailarinas e de acompanhamento de músicos ao vivo também. Talvez você nessa fase não tenha muito tempo pra ser público, por causa das cerimônias de encerramento e tal, mas se for possível, peça a alguém pra te acompanhar e filmar (se a organização do evento permitir) a você e a alguma profissional de sua preferência. Se veja dançando e seja critica de você mesma e busque estudar os movimentos desta bailarina de sua preferência. Lembre-se que você pode ser inspiração de alguém um dia.
  4. PROFISSIONAL - CALMA, CALMA, MUITA CALMA NESSA HORA!!! Você AINDA não é "a estrela". Não se esqueça que ainda estamos estudando! Você não "é profissional", você "está estudando pra ser profissional". Hora de voos mais altos. Eventos Internacionais e de âmbito Nacional, de uns festivais no Cairo, Dubai, Arábia Saudita, Líbano (viu como foi bom economizar o dindim no início?). Mas se ainda assim esses festivais estiverem muito longe da sua possibilidade, vale um work de fisiologia e anatomia focada na Dança do Ventre, Danças Orientais para Fusões, Psicologia e Relações Humanas, Lendas e Mitos, Verdades e Mentiras sobre a História da Dança, Ballet direcionado para Dança do Ventre. Alguns eventos abrem audições para os "Grand-Shows" que encerram esses festivais. Talvez seja uma boa idéia nesse momento você participar dessa seleção. Muita coisa boa pode surgir daí. Caso você não seja selecionada, não desanime nem diga que é marmelada, rsrsrsrs. Seja humilde e se inscreva nos "Pocket-Shows". Ano que vem você tenta de novo, o importante é você saber que sua hora vai chegar se você for paciente e Perseverante.




OBS.: Nem sempre uma pessoa renomada significa aquele workshop fantásticamente bom. Pode acontecer de você pegar um workshop de uma pessoa top de linha e o workshop seu uma "bosta". Não significa que ele tenha sido ruim, apenas o seu foco não era o que foi abordado, portanto, antes de  escolher uma oficina, um evento ou um show pra assistir didaticamente, procure se inteirar muito bem a respeito da pauta do work, do programa do evento ou do Show que você pretende assistir pra não ficar depois com aquele gosto de M***da na boca, na sensação de rasgar dinheiro.



Enfim pessoal, é isso. Aqui encerro essa série de publicações a respeito de como estudar de forma correta a Dança do Ventre, e o Tribal também. Isso porque na minha opinião pessoal, as 2 últimas questões colocadas (Todas Acima ou Nenhuma das Acima) se faz desnecessária. O importante é ter BOM-SENSO. Buscar aquilo que combina com seu jeito de ser e que te dê satisfação. Não adianta "malhar em ferro frio" numa coisa efêmera, que se você buscar no fundo do seu coração, aquilo tá faltando um pedaço. O todo tem que te completar e te realizar, ou então não te serve. Pense nisso. Nem que você leve a vida buscando, mas seja fiel ao seus instintos.




SEJA FELIZ E UM ABRAÇÃO!!!

terça-feira, 20 de abril de 2010

QUAL A MELHOR MANEIRA DE SE ESTUDAR DANÇA DO VENTRE (Parte IV)




É SE PREOCUPAR COM INDUMENTÁRIA, ACESSÓRIOS E TALS?

Não posso dizer que isso seja uma preocupação supérfula, porque se
você não for dançar na reunião familiar do almoço de domingo, onde um xalezinho de moedas e um véu de organza já fazem bonito, mas se ai vai se apresentar num "eventozinho" (como se referiu uma despeitada a um evento beneficente do grupo de dança da minha amiga-irmã), onde no baixo terão umas 150 pessoas te assistindo é outra estória. MAS CALMA, MUITA CALMA NESSA HORA! Ainda não chegamos nessa parte. Estamos estudando ainda...

Essa questão dos acessórios vai depender muito do nível de aprendizado que você se encontra. Vamos ver se damos uma idéia básica do tudo que é necessário nos 3 estágios principais de estudos:

1. BÁSICO - No básico, primeiramente vc vai precisar de um véu de organza macia ou cristal. A medida correta é A DISTÂNCIA DOS SEUS BRAÇOS ABERTOS EM CRUZ + 1 PALMO PRA CADA LADO, e na altura A DISTÂNCIA DA PONTA DO SEU NARIZ ATÉ A 1 PALMO ABAIXO DOS SEUS JOELHOS,COM VOCÊ EM POSIÇÃO ERETA. Um xale de moedas para cintura, daqueles que fazem aquele barulhinho delicioso e que deixam uma atmosfera exótica, mas que serve pra mais do que isso. Explico:
É que quando a professora tem já uma certa bagagem, pelo barulho do xale de cintura ela sabe se tem alguma aluna realizando um movimento errado e quem é.

Em segundo plano vem o traje de dança. Pq vc não vai ficar no BE-A-BÁ o básico todo. Faz parte dos ensinos básicos as aprsentações e a interação coreográfica, e é aí que a coisa começa a ficar séria (financeiramente falando).



"A Dança do Ventre é uma arte cara. Trajes caros, acessórios caros, BOAS aulas caras. Desconheço algo que possa se chamar de 'baradim, baradim' na DV, Brima!"

Não digo isso pra desanimar ninguém... Só preparando os coraçõeszinhos encantados das nossas queridas iniciantes. Quando chegam as fases das apresentações é um susto, misturado com desânimo, com toques de ansiedade. Também são nessas horas que aparecem todas as costureiras e bordadeiras possíveis e imagináveis, cada uma cobrando um preço mais exorbitante que o outro. Saida: ROUPAS USADAS. Pessoas que desistem da dança ou que desejam trocar o figurino são excelentes alternativas pra quem não quer gastar muito nem perder a apresentação.

Por causa disso, não são raras as meninas que começam a aprender a bordar pra fazer as próprias roupas. Ótima pedida pra quem tem inclinação e sabe costurar (o que infelizmente não é meu caso... snif...).

Quando vai chegando ao final do básico, a professora geralmente começa a pedir outros acessórios. Em geral são taças, snujs e bengala e/ou bastão pra iniciação ao folclore (Said ou Taksim).

2. INTERMEDIÁRIO - Nessa fase, mais acessórios e outras cores de trajes se fazem neessários. Afinal de contas, você não quer ser conhecida como a "bailarina de uma roupa só", né? Com relação a acessórios, é geralmente que começam a entrar acessórios como a espada por exemplo. Lembra da bengala e do bastão do final do básico? Já te prepara um pouco pra espada (mas uma coisa não tem nada a ver com a outra, viu? Bengala/bastão é FOLCLORE e espada não). É a hora de aprender a usar o véu de seda. "Poutz Haiyat, a gente já não aprendeu a usar véu no básico???" Não caríssima colega, você não sabe. 1º porque o véu de seda é tão leve que parece ter vida própria, você tem que se adaptar a ele e 2º porque a organza é mais armada que a seda. Acredite, manusear um véu de organza não tem NADA A VER com o manuseio de um véu de seda. Sem contar q dançar com o véu não é só girar ao redor do corpo e ao lado. tem diversos movimentos de véus que são hipnotizantes. Se não me engano, a Lulu Sabongi tem uns 2 ou 3 DVDs didáticos só ensinando movimentos com véus.

Quanto a espada, é mais equilibrio mesmo e movimentos bonitos, que combinem sua dança com os movimentos da espada. Recomendo CLAUDIA MOPPE pra ver algumas performances. Acho ela FERÍSSIMA na espada. Começa a entrar nos estudos o "Raks al Chammadan" ou Dança do Candelabro. Resumindo, é uma combinação de movimentos diferentes e também de equilibrio e foco.


E em se falando em movimentos combinados, é no intermediário q esse verdadeiro "inferno na terra" pra umas começa. Pelo menos pra mim era... affffffffffffff. O maldito CAMELO COM SHIMMI... A maioria dos movimentos combinados tem shimmi no meio, o "tremido" que você COMEÇOU a aprender no básico, que é o shimmi simples. Tem o Shimmi de tensão, o de transferência, o de tranco... OFICINAS DE QUADRIL, ATIVAR!!! Muito importantes nesse momento, aliás, OFICINAS são um capítulo a parte, onde abordaremos com mais calma.

Começam os estudos mais profundos de ritmos, bem como o conhecimento deles e se possível, aprender a tocar um instrumento (daff, snujs ou tabla), regra de indumentária, maquiagem, etiqueta na dança, etc.

3. AVANÇADO - Embora eu não tenha tido oportunidade de chegar nesse ponto, infelizmente (assunto pra outra postagem) mas acredito q a ralação seja hard core. É aquele momento que a professora te exige meeeeeeesmo e não admite erros, principalmente de movimentos láááá do básicão.

Momento em que é hora (na minha opinião) de se mostrar ao mundo. Participar de mostras competitivas ou não (embora eu seja radicalmente contra mostras competitivas), participar de palestras e workshops adequados a sua condição de aluna do avançado. Se embasar muito em folclore e ritmos. Imperdoável a meu entender uma aluna de avançado não reconhecer, identificar e saber usar os ritmos na dança.

Entram em cena o Véu Wings, Véu wings de Seda, Véu Poi, Espada com Velas, Candelabro com taças, Véu de Seda duplo, literatura... Há até quem dance chammadan com véu, afff... é de tirar o fôlego!

Infelizmente, nessa etapa é que a aluna procura estudar a teoria, no intuito de desmistificar os zilhões de informações contraditórias sobre cultura e folclore. Pelo menos seria assim que deveria ser, mas a maioria aceita a primeira sandice que escuta e aquilo vira um dogma na cabeça da sujeita. Na verdade, como eu sempre digo, milito a idéia de que os estudos teóricos deveriam vir de berço, ou seja, desde o basicão, mas a "meleca" é que a maioria não se interessa!

"EU TENHO É QUE SABER DANÇAR E PRONTO ACABOU!" Tsc, tsc, tsc...

Aí você começa a falar sobre Oum Kathoum e a figura fica com cara de paisagem... "Ahhmmmm, ééééé.... tb gosto dela dançando..." kkkkkkkkkkkkkkk!!! Seria cômico se não fosse trágico, até bem porque, nessa fase a aluna já substitui a professora de vez em quando, se achando o SUPRA-SUMO, isso quando já não está dando aulas desde o intermediário!!! Mas deixa eu voltar pro foco, achar que a vida é bela e que o amor até existe, bem como a "doce ilusão" de que essas coisas não acontecem...

Passado o "momento protesto" (rsrsrs), nesse momento também a professora começa a preparar as alunas que ela julga estarem prontas para a etapa final. Geralmente também libera as mais preparadas a darem aulas por conta própria.

4. PROFISSIONALIZANTE - Posso abrir um parêntesis aqui? COMO, PELAMORDDEUSO, UMA CRIATURA QUE NÃO BASE NEM PRA INTERMEDIÁRIO SE METE A FAZER CURSO PROFISSIONALIZANTE? Gente, a professora tá lá! É o trabalho dela te ensinar os métodos profissionais! VOCÊ é que tem que tomar seu SIMANCOL diário e ver que você não está preparada, que é jogar dinheiro fora. Se seu camelo com shimme é um desastre, o que vocêvai fazer num curso profissionalizante? Fazer PROVA DE TÍTULOS? Isso não faz ninguém dançar bem, muito menos ser uma profissional... sinto muito!

Parêntesis fechado, nesses cursos você vai um pouco mais além do que simplesmente aprimorar dança (bom, pelo menos deveria ser assim). O estudo se foca na parte humana, na diversidade das pessoas e como lidar com uma série de dificuldades, tanto físicas quanto do psiquismo, bem como um pouco de psicologia feminina.

E por que digo "deveria ser assim"? Porque quando uma pessoa chega a níveis de se profissionalizar, ela já aprendeu QUASE tudo que deveria saber e portanto o foco de um aprendizado profissionalizante deveria se focar mais em relações humanas, fisiologia da dança, anatomia, composição coreográfica pra iniciantes, intermediários e avançados, produção, etc. (QUASE é porque na dança todos nós sabemos - as que não sabem, ficam sabendo agora - que o aprendizado NUNCA ACABA). Nesse ponto, geralmente as bailarinas já tem todos os acessórios e roupas variadas para Dança do Ventre e Dança Folclórica árabe.



O que vejo, de fora claro, é cursos profissionalizantes que ensinam movimentos de avançado, deslocamentos, expressão, ou seja TUDO AQUILO QUE A PRETENSA PROFISSIONAL JÁ DEVERIA SABER! Mas tudo que eu diga aqui é mero achismo, haja vista eu nem ter passado do intermediário.

Portanto amigos e amigas, desde o avançado pra cá, minhas palavras são a expressão das minhas idéias sobre o assunto pautado hoje. Não gostaria que ninguém as tomasse como verdade absoluta, até bem porque eu não tive essas experiências pra poder afirmar com todas as letras que É ISSO. Essa é a vantagem dos blogs. Eles são democráticos o suficiente pra você expressar aquilo que você julga correto e dentro de um certo bom-senso.

Mas não podemos nos pegar em roupas e acessórios como a melhor maneira de se aprender. Não adianta nada você colocar uma espada na mão de uma aluna com 1 mês de aulas. Nem todos os movimentos do véu ela sabe fazer, q dirá dançar com uma espada! Por isso você pode começar a estudar dança HOJE e comprar todos os acessórios AMANHÃ, que eu vou te dizer: Vais gastar demais e aproveitar de menos. Cada roupa e/ou acessório tem o seu momento certo, e eles não abalizam a dança de ninguém. Experiência própria pessoas!

Quando eu ainda tinha pretensões de me profissionalizar na intenção de ser professora e não de ser bailarina, tinha focado todo meu futuro dentro desses parâmetros, mas como eu disse antes, isso é assunto pra outra publicação.

Abraços!

segunda-feira, 19 de abril de 2010

EU VOLTEI!!!


Depois de um longo e tenebroso inverno, onde emoções mil aconteceram no meio deste tortuoso caminho, cá estamos nós de volta pra falar daquilo que interessa: Dança do Ventre e muito estudo. Desde minha última postagem, muita água rolou debaixo da ponte e meus conceitos sobr diversas coisas também mudaram, mas nada que modifique o que postei anteriormente e sim o que postarei de hoje em diante.


Continuaremos com os assuntos levantados em pauta e vamos vir com muito mais. Só não começo agora porque estive trabalhando pra que tudo funcione a contento, sem contar que tenho outras necessidades pra atender... Vidinha virtual agitada essa minha, rsrs.



 Desde minha última postagem, muita água rolou debaixo da ponte e meus conceitos sobr diversas coisas também mudaram, mas nada que modifique o que postei anteriormente e sim o que postarei de hoje em diante.

Teremos muito estudo que geralmente não são muito aventados nas nossas ilustres salas de aula de Dança do ventre, teremos dicas de sites e links importantes pra quem quer estudar a fundo e não ser só mais um corpinho bonito dançando graciosamente.

Teremos tribal (que amo, não posso evitar), conhecimento de grandes nomes e nomes desconhecidos Old Bellydance, Golden Era e dias atuais, tanto no Brasil como no exterior.



Teremos muito folclore, danças étnicas e ritualísticas, histórias e lendas, verdades e mitos, delírios e coerências, enfim TUDO QUE UMA BAILARINA QUE SE PREZA PRECISA TER.

Também teremos o CIRCUITO DE EVENTOS 2010, onde você que é bailarina (profissional ou não), alunas, professoras e simpatizantes da arte poderão se manter atualizados com tudo de bom que vai acontecer no mundo Tribal, no mundo das danças étnicas e folclóricas e no mundo Bellydance.


A novidade meeeeessssmo é que abriremos espaço à DANÇA CIGANA (outra grande paixão minha), e dentro da medida do possivel eu trazer o máximo de informações a respeito desse povo lindo e guerreiro, que também está inserido no mundo da dança do ventre através da das ciganas egipcias (ghawazee).
Enfim pessoal, conteúdo de qualidade é que não vai faltar no nosso cantinho de estudos. Fiquem ligadinhos, confiram todos os dias, que a titia promete que não abandona vocês nunca mais, tá?

Beijão, pessoas lindas!!!