Mude Seu Idioma / Change Your Language / Cambia Su Lengua

quarta-feira, 22 de junho de 2011

EGITO – Da Antiguidade aos Dias Atuais

Capitulo I – A Gênese

Temos feito algumas pesquisas e estudos a respeito do Egito de ontem, hoje e sempre, a fim de atualizar informações e tirar a poeira das velhas. Pesquisas recentes mostram novas descobertas, levantam novas dúvidas e desmistificam antigos conceitos daquela que foi, ao nosso entender, e ao de muitos historiadores, a maior civilização do mundo antigo. Foram mais de 5000 anos até o advento de Cristo, onde acontecimentos marcantes como a unificação dos povos norte-africanos ao longo do Rio Nilo, a criação do panteão dos deuses, a base da cultura e sociedade, a organização como Estado e sua posterior decadência e a adoção do Islamismo e da língua árabe.

Estes nossos estudos, embora resumidos, não se aterão apenas ao Egito Antigo e suas Dinastias – abordaremos também o Egito atual, sua luta recente de acabar com as ditaduras (que foi um levante de vários países do oriente médio) e o resgate cultural, com a tentativa de reaver seus artefatos arqueológicos espalhados pelo mundo inteiro.

Quanto mais descobrimos, menos parecemos saber...

Este artigo pretende trazer a essência do pensamento e modo de vida egípcio, do mais simples trabalhador ao mais poderoso faraó, até os dias de hoje.

  • CURIOSIDADES

Ø      Você conhece as 10 pragas do Egito? Não? Nós explicaremos...

Segundo a tradição judaica, as 10 pragas foram um castigo de Deus pela escravidão a qual o faraó (provavelmente Ramsés II) insistia em manter os hebreus. Consistiam em:

  1. As águas do Nilo se transformam em sangue;
  2. Rãs infestam ruas e casas;
  3. Piolhos e nuvens de mosquitos empesteiam o ar;
  4. Moscas invadem as cidades;
  5. Pestes matam os animais nas áreas urbanas;
  6. Tumores e úlceras atacam homens e animais;
  7. Chuva de pedras destrói casas e plantações;
  8. Gafanhotos devoram o que restou das lavouras;
  9. O céu fica escuro por 3 dias; e
  10. Morrem todos os primogênitos, inclusive o do faraó.

Porém, essas pragas podem não ter nada de sobrenatural como dizem as escrituras. Em 2004, o físico Colin Humphreys, da Cambridge University, dá explicações lógicas em seu livro, tiradas da natureza, para as pragas do Egito. São elas:

  1. O Nilo teria ficado cor de sangue pela proliferação de algas vermelhas. Suas toxinas mataram os peixes e fizeram sapos e rãs fugirem para as cidades.
  2. Os sapos e rãs morreram desidratados. Sem seus predadores naturais, moscas como a Stomoxys calcitrans e mosquitos como o Culicoides canithorax multiplicaram-se entre outubro e novembro.
  3. Enxames de de moscas atacaram vacas e cavalos, que começaram a morrer pelo vírus que os insetos carregam. A infestação de mosquitos causou as doenças de pele nos egípcios. O cenário ficou mais grave entre novembro e janeiro. (N.a.: Só questiono o porquê que esses mosquitos teriam atacado apenas os egípcios e não os hebreus escravos... isso sim eu acho “sobrenatural”, rsrsrs).
  4. A chuva de pedras seria granizo; o solo úmido depois do temporal atraiu gafanhotos-do-deserto, que depositaram seus ovos e até março devoraram o que sobrou da plantação.
  5. Os 3 dias de escuridão em março seriam conseqüência de uma forte tempestade de areia. O fenômeno é comum até hoje nessa época do ano.
  6. Os primogênitos tinham a regalia de se alimentar primeiro. Quando não havia alimento para todos, provavelmente só eles comiam. Podem ter sido vítimas dos cereais contaminados pelas fezes dos gafanhotos.


Ø      Uma outra curiosidade é a respeito do tamanho dos rios Amazonas e Nilo. A disputa é antiga.

Em 1998, medições do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) deram ao Amazonas o primeiro lugar depois de concluírem que ele nascia 250Km acima do que se pensava, no sul do Peru. Sem esse acréscimo, são 6670Km contra 6500Km a favor do Nilo. Em quantidade de água, ganhamos de lavada: 175 mil metros cúbicos  por segundo de vazão contra 3100 metros cúbicos do Nilo.


Ø      Você sabia que os antigos egípcios criaram a primeira cervejaria?

Apesar da vida dura e dos períodos que chegavam a passar fome, há indícios de que eles eram um povo de bem com a vida: depois do trabalho, gostavam de se reunir para contar histórias e rir quando tomavam sua cerveja – que na maioria das vezes era feita pela mulher da casa. Ela triturava os restos de pão, misturava os farelos na água e esperava fermentar. O líquido era coado, adocicado com tâmaras ou outras frutas. Os egípcios consideravam a bebida um presente dos deuses pela “mágica” que ela fazia (embriagues), e até aceitavam o pagamento de seu trabalho em pão (3 a 4 unidades) e cerveja (4 ou 5 litros por dia). Foram eles que montaram a primeira cervejaria do mundo, entre 3400 e 3100 a.C.

ATÉ A MERENDA ESCOLAR TINHA CERVEJA!

Uma das tarefas das mães era levar o lanche aos filhos quando eles estavam na aula com seus tutores. O lanche era pão com cerveja. A cerveja era um item obrigatório na dieta do egípcio, consumido por adultos e crianças, pobres e ricos.


Ø      Encerramos essas poucas de muitas curiosidades com “um dia na vida de um egípcio”.

Os egípcios tinham hábitos muito parecidos com os nossos. Valorizavam a vida em família e o trabalho. Gostavam de boa comida – e de boa cerveja. As crianças estudavam e brincavam no tempo livre. As meninas eram vaidosas e gostavam de se maquiar (os homens também). Quando adoeciam, iam ao médico e quando tinham dor de dente, iam ao dentista.
A maior parte da população era formada por camponeses, que vivam em casas simples e tinham que suar para conseguir o sustento. Os homens cuidavam da lavoura e das construções do faraó. As mulheres cuidavam da casa, faziam pão e cerveja, levavam as crianças a escola e ajudavam os maridos em trabalhos menos pesados. A vida não era fácil, mas não era diferente da nossa...
A diversão dos adultos consistia em jogos, luta (com varas – de onde provavelmente originou-se a dança masculina TAHTIB e tinham também o propósito de treinamento militar, conforme abordamos na página “Danças Masculinas”, ou podiam ser lutas sem varas), natação e corrida de barcos. Para as crianças, bonecas, bolas de couro, cavalinhos de madeira sobre rodinhas e brincadeiras em grupo.
Já os nobres, além da caça de aves, cervos, crocodilos e até hipopótamos do Nilo, também ofereciam banquetes. Contratavam bailarinos, mágicos, acrobatas e músicos – que tocavam harpas, alaúdes, cítaras, sistros (instrumento de percussão de metal), crótalos (um tipo de castanholas, que conhecemos mais popularmente por snujs ou sagat), flautas, tambores e triângulos. Existia uma regra de etiqueta, que abordaremos mais adiante, no capítulo “Dia-a-Dia e Cotidiano”.


Esperamos que todos aproveitem ao máximo as informações, e sintam-se todos a vontade para tirar dúvidas, acrescentar informações (sempre com as fontes) e dar sua opinião.

BONS ESTUDOS!

Referências Bibliográficas:
AVENTURAS NA HISTÓRIA, São Paulo, : Abril, Ed. Especial, n. 94-A, Jun. 2011
Humphreys, Colin J. The Miracles of Exodus: A Scientist’s Discovery of the Extraordinary Natural Causes of the Biblical Stories 2003, HarperSanFrancisco
http://www.britishmuseum.org/explore/cultures/africa/ancient_egypt.aspx

8 comentários:

NANDA SALIMA disse...

eu adoreiiiiiiii essa primeira parte irmã. Te juro q num sabia varias coisas q li aqui, obrigado por compartilhar...adorei!!

Cleo!!!! disse...

Haiyat, vim aqui para te agradecer por essa aula, muito do que foi escrito e apresentado aqui, eu não tinha a menor ideia. Estou ansiosa pelo próximo.
Beijos no seu coração!

Faridah Mahaila disse...

Nosa arrasou!!! Postagem super informativa.. adorei.. alias.. vc arrasa com seus estudos.. obrigada por compartilhar conosco.. bjsss

Haiyat Raziya disse...

Obrigada meninas! O reconhecimento de vcs e saber q vcs se abastecem de conhecimento por aqui me deixa muito feliz e animada de buscar mais coisas pra aprender e compartilhar!
Agradeço de coração!

giu disse...

Ameeeiii!!!Muito bom estar a par de tudo isso!!!Obrigada

Haiyat Raziya disse...

Giu, partindo de vc eu fico muito feliz e grata, pois vc vivencia intimamente a arte e a cultura egipcia!
O próximo capítulo estará imperdível. Bj no coração lindona, e obrigada a todas por compartilhar suas impressões! =D

Nete Salmah disse...

Prabéns linda,adoreiiiii,seu profissionalismo, domínio e busca constante de conhecimento sobre a arte, sempre atenciosa e procura ajudar a todos dando boas dicas.

Haiyat Raziya disse...

Puxa Nete, obrigada! Suas impressões são muito importantes pra mim amiga! Um bjo nesse coração lindo q vc tem!